13 setembro 2012

(Re)começar

Postado por Carolina Ctfra às 15:33
Eu nunca fui fã de novos começos. Sempre odiei mudanças e ter que me adaptar ao novo não é nada fácil para mim que sempre tive uma vida tão igual. Desde pequena estudo na mesma escola, sempre morei na mesma casa, frequentei os mesmos restaurantes, usei os mesmos estilos de roupa e sempre usei o mesmo corte de cabelo. Sou muito tímida, por isso sempre tive dificuldade de conhecer novas pessoas e fazer amizade, sendo assim mantenho meus amigos de infância até hoje. Desfazer das coisas sempre foi muito difícil para mim, pois como as renovações são raras em minha vida faço questão de memorizar cada segundo. Por tanto, apagar as mensagens do celular quando a caixa de mensagem está cheia, jogar as cartas fora, esquecer as datas que nós comemorávamos e rasgar os bilhetinhos bobos que mandávamos é muito difícil para mim, pois ao apagar essas coisas estou apagando uma parte de mim, uma parte da minha vida, e por isso surgiria em mim um espaço que precisaria ser completado. Mas como ocupar esse buraco se não consigo recomeçar? Por esse motivo simplesmente preferia não apagar, optava por guardar cada objeto que pudesse me ajudar a eternizar os mementos na minha lembrança.
Talvez a vida seja mesmo isso, guardar momentos e eternizar sentimentos. Mas eu percebi que os momentos que nos causam dor, por exemplo, não precisam ser relembrados a todo instante. Claro que é importante guardá-los para nunca nos esquecermos do aprendizado que eles nos trouxeram, mas se a ferida ainda não cicatrizou é melhor deixá-la adormecida por um tempo, até que ela não cause mais tanto sofrimento. Sei que esquecer nem sempre é fácil, mas é necessário, pois às vezes estamos nos prendendo e ocupando espaço, com uma coisa que poderia ser substituída por outra bem melhor, mas só vamos saber se desapegarmos, afinal para um novo ciclo ter início é preciso encerrar outros. Por tanto, resolvi fazer uma faxina, no meu quarto e na minha vida. Coloquei tudo que me trás recordações ruins ou dolorosas em uma caixa e guardei-a no fundo de uma gaveta, pois assim mantenho as lembranças guardadas, mas longe dos meus olhos. Resolvi estender a faxina até o coração para organizar os sentimentos. Coloquei as pessoas que me ajudam e que me fazem feliz por cima, assim eu consigo visualizá-las e dar o valor que merecem, e deixei as pessoas que me magoaram por baixo, para nunca me esquecer que não devemos confiar em todas as pessoas e que aprendemos muito com elas, apesar de ter me decepcionado e, portanto, elas perecem ser perdoadas
Hoje sei que certas coisas precisam de um fim para dar início há outras melhores. Por isso resolvi fechar esse ciclo e começar outro, porque sei que independente do tempo que demore e de quantas vezes vou precisar recomeçar, o importante é ser feliz!

0 comentários:

Postar um comentário

Se gostou do post comente e faça uma blogueira feliz!
Prometo ler e responder todos os comentários.
Obrigada. Beijos!

 

Densidade Feminina Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos