10 novembro 2012

Entre Aspar: Te olhando

Postado por Carolina Ctfra às 11:19


Estou aqui sentada na cadeira da piscina, te olhando e achando graça. Estou achando graça do modo como você está me olhando disfarçadamente, de longe. Fugindo o olhar quando os nossos olhares se encontram, porque você não quer dar o braço a torcer. Nós dois sabemos que foi muito forte o que houve entre nós. Só você que teima em querer me fazer perguntas que só as entrelinhas podem responder. Você deveria saber, você me conhece bem e sabe que eu nunca digo assim, escancaradamente. Letra por letra, falada. Deixa eu te dizer uma coisa, garoto. Escrever para você não significa que eu fique chorando pelos cantos por você ter ido embora. Se você acha que eu passo os fins de semana trancada no quarto escrevendo mil textos para você, está enganado. Eu estou sempre bem acompanhada dos meus bons drinks e dos meus bons amigos. Eu estou sempre rindo alto, dançando até não sentir mais os meus pés e cantando alto. O problema é que tudo isso é pra tentar preencher o vazio que você deixou. E essa minha vida social movimentada é um dos meus métodos para buscar alguém que supere você, que me faça parar de pensar em você. Eu não sofro, dramática e triste, pela sua ausência. Eu penso em você em todos os dias da minha vida, mas eu não sofro. A tristeza não torna o amor mais real ou poético. Eu apenas sinto a sua falta. Sinto falta do seu sorriso doce, das suas mãos quentes, do seu abraço apertado. Eu sinto falta de tudo o que você foi pra mim. Eu te vejo em cada música - por mais boba que seja - em cada história de amor, em cada frase bonitinha e naquele cara da novela das 9. Eu te procuro na rua, no metrô, no supermercado, no shopping e na minha casa. Eu não te encontro. Encontrei esse fim de semana, já que estamos de férias e na casa dos nossos amigos em comum. Aí eu estou te olhando agora. Achando engraçado e sentindo uma coisa linda. Aquela coisa linda que eu sempre senti com você e nunca soube explicar. Sabe, por ser assim, sempre em excesso e nunca compacta, eu canso de sentir sua falta. Canso porque às vezes eu sinto tanto a sua falta, que dói e então eu choro até murchar. Choro até que o meu corpo implore para que eu reponha o líquido. Então, eu me renovo. Amar você não machuca, e sou tão feliz por isso. As minhas amigas vivem me dizendo: "você vai encontrar muitos outros caras por aí, não se preocupa". Eu sei. Todos sabem. Mas eu também sei que nenhum deles vai ser você. Repito garoto: Não é porque te escrevo que te espero pra sempre. Eu tenho muita fome de vida pra desperdiçá-la esperando alguém que talvez não volte nunca mais. Por mais que eu saiba que você volta, que eu volto. Porque no final nós sempre voltamos um para o outro e nos permitimos sentir outra vez. Você foi só o início, eu sei. Durante esses meios outras pessoas surgem, outras pessoas passam e essas mesmas pessoas vão embora. Aí no final é sempre você. Somos sempre nós dois. E por mais que o mundo gire e a vida mude, a gente é pra sempre, mesmo que esse tal de para sempre não exista. Sabe, eu ainda estou te olhando e rindo por dentro. Eu estou sorrindo por fora. E olha só, você não está mais desviando o olhar. Agora nós estamos nos encarando e rindo. É porque a gente sabe que as nossas exatidões não funcionam com mais ninguém. A gente se completa. Eu espero que você não tenha perguntas ou dúvidas. Leia as entrelinhas, a resposta está lá. Eu sei que você sabe. Não precisa questionar, o que é nosso está guardado. Agora, dá licença que eu estou me amando em tempo integral. Ainda sinto sua falta, mas te amo só nas horas vagas. Tem outra pessoa me fazendo mais feliz: Aquela que eu vejo no espelho. Estou te olhando e rindo por dentro, rindo por fora, rindo a toa... Hoje, eu estou me amando demais pra amar você.



Esse texto é da Marie Raya que é apaixonada por escrever e que cursa jornalismo. Ela escreve sobre musica, livros, comportamentos e cria alguns contos, enfim tem um pouco de tudo. Eu garanto que vale a pena conhecer o blog dela.

2 comentários:

Chrysthie Audi on 11 de novembro de 2012 13:05 disse... [Responder comentário]

Nossa, que texto lindo!!!
Intenso, profundo, rela!!! Amei!!!
Frequentarei sempre!!!

Beijos e sucesso por aqui!!!

Menina D. on 11 de novembro de 2012 13:13 disse... [Responder comentário]

É intenso porque representa a realidade de muitas meninas que também deveriam se amar antes de tudo.
Obrigada Chrysthie! Volte sempre!
Beijos

Postar um comentário

Se gostou do post comente e faça uma blogueira feliz!
Prometo ler e responder todos os comentários.
Obrigada. Beijos!

 

Densidade Feminina Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos