19 janeiro 2013

Ente Aspas: Eu nunca gostei de ninguém

Postado por Carolina Ctfra às 15:00


É incrível: é só a gente entrar na puberdade que nasce automaticamente o dever de se apaixonar por alguém. Com o tempo, a maioria das suas amigas já beijou 2 ou 3, algumas já namoram, sua família faz brincadeirinhas sem graça, seu irmão sente ciúmes do seu melhor amigo e você continua sentindo que não encontrou ninguém. Às vezes pode rolar aquele sentimento de “atraso” em relação às outras meninas, ou aquela dúvida de que tem algo errado com você. Em todas as novelas teens, os adolescentes estão trocando de amores de 4 a 5x por temporada, algumas engravidam e outros terminam felizes para sempre. Tudo isso faz parecer que o amor é encontrado em qualquer esquina, de forma fácil e rápida. E que, se você ainda não tem ninguém, o problema só pode ser você.

Eu não posso dizer que eu passei por isso, aliás, sofri pelo outro lado da moeda: eu fui uma criança facilmente apaixonável. Tive algumas dezenas de amores platônicos, intercalados com algumas amizades que realmente me confundiram. Algumas dessas paixonites passaram sem grandes estragos, mas umas poucas me fizeram sentir as tais das borboletas no estômago e me trouxeram alegrias da mesma forma que experiências e decepções…

Mas uma seleta parte das minhas amigas vivia preocupada com o fato de nunca ter sentido algo forte por alguém. Elas se sentiam completamente deslocadas quando chegávamos no tema de relacionamento. Algumas desencanavam, dizendo que realmente nunca tinham encontrado alguém interessante ou especial, que os meninos ao seu redor eram um bando de panacas e playboyzinhos imaturos. Mas algumas outras se encontravam visivelmente abaladas, e sentiam-se “ficando para trás”. Acredito que a coisa mais errada que se pode fazer quando isso acontece, é pensar obsessivamente sobre isso. “Por que nunca encontrei ninguém? O que estou fazendo de errado? Se eu sair essa noite será que o cara da minha vida pode estar lá? E as noites que eu fiquei em casa, será que eu perdi de encontrá-lo? E quando eu fizer 20 anos, será que já estarei com alguém?”.

Eu tenho uma crença meio boba, meio louca, de que o amor é um bichinho felpudo vermelho que foge dos desesperados. Ele curte a delícia da imprevisibilidade, então se você realmente corre atrás de um, desista. Ele quer chegar sem ninguém ver, numa noite em que você não dava nada pela balada, ou num dia que você vai pra padaria com a sua blusa furada. Você absolutamente não está cogitando o amor como possibilidade quando ele te surpreende e você não tem tempo de dizer não. Já foi, já é amor.

Era exatamente isso o que eu dizia pra aquelas amigas, e com o tempo e as próprias vivências elas caíram na real: perceberam que nunca teve nada de errado com elas. A maioria delas teve que sair com uns 27 carinhas, pra descobrir que o mais especial não estava nessa lista, e iria chegar do lugar mais improvável possível. As coisas vêm em tempos diferentes pra cada pessoa, e ficar se comparando com os outros não vai te fazer encontrar uma resposta. Não vá à caça, mas se deixe conquistar.

Esse texto é da Luísa Xavier  que é colaboradora do blog Radioctive Unicorns. Ela escreve sobre comportamento, culinária, customização e moda. Garanto que vocês vão adorar os textos dela!

14 comentários:

Inara Souza on 19 de janeiro de 2013 15:12 disse... [Responder comentário]

Oi, Carol!

Adorei o 'Entre Aspas'! Textinho lindo!

beijos,
Inara - http://www.lerdormircomer.com.br/

Menina D. on 19 de janeiro de 2013 16:24 disse... [Responder comentário]

Ele transmite o que muitas pessoas sentem, por isso se torna tão profundo e tão bonito. Obrigada!
Beijos.

Renata Leite e Isadora Klauck on 19 de janeiro de 2013 17:14 disse... [Responder comentário]

Lindo blog e lindo texto! Meu Deus, me identifiquei com ele, porque por muitas vezes eu realmente ficava - e às vezes ainda fico - me comparando aos outros e me perguntando o que há de errado comigo. Porém, isso começou a mudar, e a ideia fixa na minha cabeça de que eu teria que procurar por alguém incansavelmente até encontrar o tal do "amor" passou a se extinguir lentamente. Eu parei de ligar tanto pra isso, mas é claro que ligo um pouco. E, esse texto me ajudou a clarear melhor as "ideias" hahaha. Adorei, sério mesmo!

Beijos,
Renata.

http://viciadas-em-livros.blogspot.com.br/

Luísa Xavier disse... [Responder comentário]

Oi Carol,
que delícia saber que você gostou.
Obrigada de verdade, ta?
:) sucesso com o seu blog meu anjo.
beijos

Menina D. on 19 de janeiro de 2013 18:18 disse... [Responder comentário]

@Renata Leite e Isadora Klauck
Fique bem consigo mesma e seja feliz, ou seja, pare de procurar o amor e, quem sabe, quando você menos esperar, ele te encontre.
Fico feliz em saber que de alguma forma eu te ajudei!
Seja bem vinda ao blog e obrigada pelo comentário!!
Beijos

Menina D. on 19 de janeiro de 2013 18:32 disse... [Responder comentário]

@Lu�sa Xavier
Eu que tenho que agradecer por você fazer textos ótimos que conseguem trasmitir exatamente o que eu sinto. Parabéns!
Obrigada flor, pra você também!
Beijos.

Fernanda Soares on 20 de janeiro de 2013 07:36 disse... [Responder comentário]

Que texto maravilhoso!! Me identifiquei muito com ele *-*
Você tem um dom e tanto!!
Beeijos

http://mardeaquarela.blogspot.com.br/

Menina D. on 20 de janeiro de 2013 08:18 disse... [Responder comentário]

Fernanda Soares Esse texto realmente é perfeito, mas o crédito é todo da Luísa Xavier.
Obrigada pelo comentário!!
Beijos

Ana Clara Rezende on 20 de janeiro de 2013 15:19 disse... [Responder comentário]

Verdade o seu texto, mais eu sempre digo que Deus já tem um príncipe para nós todas e que a gente não precisa procurar pois na hora certa ele vai aparecer, Deus já deixou tudo bem planejado e é assim que funciona. Vc traduziu tudo muito bem.

Menina D. on 20 de janeiro de 2013 17:42 disse... [Responder comentário]

Ana Clara Rezende Mesmo que a gente não consiga um príncipe o importante é estar bem sozinha e conseguir ser feliz.
Fico feliz em saber que você gostou do texto e obrigada pelo comentário!
Beijos.

Ana Clara Rezende on 23 de janeiro de 2013 07:03 disse... [Responder comentário]

Oiii só vim te avisar que te indiquei em um selinho no meu blog.
Bjos
http://bibliotecavirtu.blogspot.com.br/

Paula Torres on 23 de janeiro de 2013 09:50 disse... [Responder comentário]

Adorei o texto, é maravilhoso, e o seu blog também ! Beijos.

Menina D. on 23 de janeiro de 2013 10:12 disse... [Responder comentário]

Paula Torres Fico feliz em saber que você gostou e muito obrigada pelo comentário!!
Beijos.

Menina D. on 29 de janeiro de 2013 09:49 disse... [Responder comentário]

Ana Clara Rezende Obrigada pela indicação, fiquei muito feliz!!
Beijos.

Postar um comentário

Se gostou do post comente e faça uma blogueira feliz!
Prometo ler e responder todos os comentários.
Obrigada. Beijos!

 

Densidade Feminina Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos